Breve vida!

Ask me!   Num corpo de homem, a alegria de um menino, acreditando ser a vida um poema sem fim e criado para ser feliz.

twitter.com/soigor:

    E ninguém é igual a ninguém - Vanessa da Matta

    […] “Minha força talvez seja me lembrar
    Que me levantei
    Me guiei pelo que sou
    E ninguém é igual a ninguém”

    — Há 5 dias
    #E ninguém é igual a ninguém  #Vanessa da Matta  #mpb  #brasil  #musica 
    "Se não tivesse o amor
    Se não tivesse essa dor
    E se não tivesse o sofrer
    E se não tivesse o chorar […]"
    — Há 5 dias
    #Berimbau  #Vinicius de Moraes 
    Bem-aventurados Os Aflitos

    Se não podes ter um lugar sequer
    Pra descansar o coração
    Se em meio a tanta gente, não te deixa a solidão
    Chora a tua alma, todos pensam que sorris
    Cantam os teus lábios, falas da coragem,
    Mas por dentro és infeliz

    Se ninguém percebe as lágrimas que ocultas
    Bem atrás do teu olhar
    Se dentre os homens, a ninguém puderes
    Tua dor confessar

    Olha, vê quantas estrelas,
    É pra lá que tu vais
    Num recanto do universo…
    Ah! vais encontrar a paz

    Marielza Tiscate

    — há Há 5 dias com 8 notas
    #musica  #espiritismo  #espirita  #Marielza Tiscate 
    (V)

    O amor é uma companhia.
    Já não sei andar só pelos caminhos,
    Porque já não posso andar só.
    Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
    E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
    Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
    E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

    Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
    Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
    Todo eu sou qualquer força que me abandona.
    Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.

    (Alberto Caeiro, O Pastor Amoroso)

    — Há 2 semanas
    "Não sou nada.
    Nunca serei nada.
    Não posso querer ser nada.
    À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."
    Álvaro de Campos
    — Há 2 semanas
    Socorro

    Socorro, não estou sentindo nada
    Nem medo, nem calor, nem fogo
    Não vai dar mais pra chorar
    Nem pra rir

    Socorro, alguma alma mesmo que penada
    Me empreste suas penas
    Já não sinto amor nem dor
    Já não sinto nada

    Socorro, alguém me dê um coração
    Que esse já não bate nem apanha
    Por favor, uma emoção pequena, qualquer coisa
    Qualquer coisa que se sinta
    Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva

    Socorro, alguma rua que me dê sentido
    Em qualquer cruzamento,
    Acostamento,
    Encruzilhada
    Socorro, eu já não sinto nada

    Intérprete: Gal Costa
    Composição: Alice Ruiz / Arnaldo Antunes

    — há Há 2 semanas com 2 notas
    #gal costa  #mpb  #arnaldo antunes  #socorro 
    "Apesar das ruínas e da morte,
    Onde sempre acabou cada ilusão,
    A força dos meus sonhos é tão forte,
    Que de tudo renasce a exaltação
    E nunca as minhas mãos ficam vazias."
    Sophia de Mello Breyner Andresen, Poesia(1944)
    — Há 3 semanas
    "Que venha a primavera, Evoé!! Desembrulho-me feito pétalas por teu afeto, primavero…"

Carmen Silvia Presotto – Vidráguas

    "Que venha a primavera, Evoé!! Desembrulho-me feito pétalas por teu afeto, primavero…"

    Carmen Silvia Presotto – Vidráguas

    — Há 3 semanas
    "Quando um corpo se enlaça em outro corpo, nasce o enredo. Quando um corpo se entrega a outro corpo, tem o coração mais sustos do que as mãos brinquedos. Quando um corpo se despede de outro corpo, quem mais amou cumpre o degredo."
    Luiz Coronel, pg. 76 - O Recreio da Segunda Infância - Editora Mecenas
    — Há 3 semanas